natacao-mariana-brasileiro-12-04-2018
Mariana com as medalhas, ao lado do pai, seu grande incentivador
 
A uberabense Mariana da Silva voltou com medalhas na bagagem do Campeonato Brasileiro de Masters de Natação, realizado entre os dias 5 e 8 deste mês, em Natal-RN.
 
A atleta de 34 anos disputou dez provas. Conquistou o bronze nos 50m borboleta, na categoria 35+, e o ouro nos revezamentos 4 x 50m livre e 4 x 50m medley, categoria 160+. A divisão das categorias é feita por faixa etária. Ainda teve mais medalhas: há premiação até o 8º lugar, e ela foi laureada em todas as provas em que nadou.
 
Mariana competiu pelo Lira Tênis Clube, de Florianópolis-SC. “O campeonato teve um nível muito alto”, afirma. “Não tem classificatória pro Brasileiro, mas é preciso ter um índice qualificatório, um tempo mínimo em cada categoria, para participar”, explica.
 
A uberabense começou a nadar com três anos e a competir aos nove. Na carreira, tem títulos estaduais por Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro, títulos brasileiros, oito recordes mineiros e um recorde sul-americano.
 
“Nado pelo Lira desde 2016, quando bati os recordes mineiros e me convidaram a disputar competições nacionais pelo clube. Em Uberaba treino na Academia Raia 4, por onde participo dos torneios que acontecem na cidade e os campeonatos mineiros, já o Brasileiro eu participo pelo Lira”, conta. Em 2016, chegando ao novo clube, foi logo dando o cartão de visitas: ela foi uma das integrantes da equipe que bateu o recorde sul-americano no revezamento 4 x 100m medley misto, categoria 160+, no Brasileiro em Palhoça-SC, com o tempo de 5min14,94s, e também compôs o quarteto que obteve a quinta melhor marca do mundo no ano no 4 x 100m livre misto, com 4min21,41s.
 
Apesar da carreira vitoriosa, a atleta não fica por conta do esporte integralmente. Tem que conciliar as competições e os treinos com o trabalho e o tempo dedicado ao filho Pedro Augusto, de 8 anos. “Trabalho no horário comercial com meu pai, Jorge Francisco da Silva, temos uma loja de carros. Treino três vezes por semana à noite. Meu pai diz que é talento, é meu fá número 1”, comenta a nadadora, que tira dinheiro do próprio bolso para competir.
 
O 61º Brasileiro teve 78 equipes inscritas, de 22 estados e do Distrito Federal, e também da Argentina e Paraguai, reunindo quase 500 atletas. Foram 40 provas no total. O Lira, clube de Mariana, ficou com a terceira colocação geral e com o quarto lugar no “troféu eficiência”, que é a média de pontos divididos pelo número de atletas de cada equipe.
 
As próximas competições nacionais são o Torneio Aberto Brasil, em junho, em Ribeirão Preto-SP; a Copa Brasil, em Caxias do Sul-RS, em setembro; e fechando a temporada, o 62º Brasileiro, em Belo Horizonte-MG, em novembro.
 
Foto: acervo pessoal

Busca 

Parceiros 

anuncie boxe

lsguarato

river

golerefrigerantes

emporio

sue

boibao

burn

Scroll to top