O Mineiro Módulo II de 2018 terá uma nova forma de disputa. A mudança foi definida na tarde desta segunda-feira, no arbitral da competição, realizado na sede da Federação Mineira, com os representantes dos clubes participantes. O novo formato não agradou ao presidente nem ao técnico do Uberaba Sport Club.

O campeonato terá na primeira fase os doze times jogando entre si, em turno único, com os quatro melhores se classificando às semifinais, e os dois piores sendo rebaixados. Nas semis, jogam o primeiro colocado contra o quarto, e o segundo contra o terceiro. É mata-mata, assim como na final – e sem vantagem para as equipes de melhor campanha, ou seja, em caso de empate nos confrontos, a decisão vai para os pênaltis. Os finalistas sobem para o Módulo I.

Nas últimas edições, os dozes times eram divididos em duas chaves na primeira fase, com os três mais bem colocados de cada chave se classificando ao hexagonal final. Aí, os seis se enfrentavam, de novo em turno e returno, e os dois melhores, campeão e vice, subiam pro Módulo I, sem mata-mata.

Ficou mantido que o campeonato será sub-24, com jogadores nascidos até o ano de 1994. Cada equipe poderá ter sete atletas acima dessa idade.

O Módulo II começa em 17 de fevereiro e termina em 5 de maio, ou seja, são menos de três meses de competição. Serão 15 datas para quem chegar à final. Na primeira fase, o Uberaba faz seis partidas em casa e cinco fora. Nos jogos como mandante, o USC atuará às 20h30 às quartas-feiras e às 18h aos sábados.
 
Empate na votação
No arbitral, seis clubes votaram pelo novo regulamento, e seis foram contra. Por que, então, prevaleceu a escolha dos que quiseram mudar?

É que, nesse caso, cada voto teve um peso, de acordo com as colocações das doze equipes nessa temporada. O melhor índice técnico vale 12 pontos, e o pior, um ponto. Por exemplo, América de Teófilo Otoni e Tricordiano, rebaixados do Módulo I esse ano, teriam 12 e 11 pontos, respectivamente. Ipatinga e Democrata de Sete Lagoas, campeão e vice da Terceirona, têm dois e um ponto, respectivamente.

Votaram contra a nova forma de disputa América (12 pontos), Tricordiano (11), Uberaba (8), Mamoré (4), Ipatinga (2) e Democrata (1). Foram a favor Betinense (10), Nacional de Muriaé (9), Tupynambás (7), Social (6), Guarani (5) e Portal de Uberlândia (3). Assim, o grupo que pediu o novo formato ganhou por 40 x 38.
 
“Vamos começar do zero”, diz presidente
Em contato por telefone com o REPLAY, o presidente do Uberaba Sport, Luís Fernando de Freitas, reclamou da mudança no regulamento. “Além das viagens mais longas, é um formato perigoso. O time que perder dois jogos vai brigar contra o rebaixamento”, opina.

O dirigente se mostrou insatisfeito com a votação. “Os clubes que queriam a mudança já chegaram com tudo combinado. O Portal foi o fiel da balança. Quero ver o que ele vai achar se perder dois jogos, ficar brigando contra o rebaixamento e tiver que ir jogar em Teófilo Otoni, por exemplo”.

O cartola também não gostou da manutenção da fórmula sub-24. “Tudo que propusemos, foram contra. Estava tudo pronto já”, pontua.

O presidente diz que, com as novidades, o Colorado vai ter que alterar a programação que havia feito para o certame. “Vamos sentar com a diretoria e a comissão técnica e refazer toda a programação. Vamos ter que começar do zero”, afirma.
 
Técnico prevê mais dificuldades
O técnico do USC, Neto Pajolla, também falou com o REPLAY por telefone. Ele prevê uma competição mais difícil com a forma de disputa adotada.

“Ficou um campeonato mais ‘cascudo’, bem mais difícil. Tínhamos noção de que poderia ter essa mudança, mesmo com a diretoria tentando manter a forma atual. Se tornou mais complicado pela questão das viagens, são distâncias grandes, e encurtaram o campeonato, é tiro curto, jogos no meio e no fim de semana, então precisa de um elenco bem cheio, por causa do desgaste físico”, explana.

O treinador critica a mudança no regulamento. “Fizeram o formato do Módulo I esse ano, mas no Módulo I tem mais dinheiro pra investir, tem ajuda da televisão, e no Módulo II é mais complicado, os clubes praticamente brigam pra sobreviver”, comenta.

Neto destaca que a montagem do elenco terá que ser precisa. “Tínhamos alguns jogadores pré-acordados, vamos manter e agora sentar com a diretoria; vai ter que investir bem mais para montar um time a nível de acesso”, ressalta.

A apresentação do USC para o Módulo II está marcada para 2 de janeiro. “Teremos um mês e 15 dias de pré-temporada para formar um time forte e competitivo. Tem equipes com mais dificuldades, porque farão seis jogos fora. Já que a forma de disputa mudou, temos que encarar, nos preparar”, conclui.

Busca 

Parceiros 

anuncie

boxe minuto

boxe disk-canecas

boxe gole

boxe elo-engenharia

boxe brasilflex

Scroll to top