parapan-bocha-ercileide-hindielle-josecarlos-02-09-2019
Ercileide, Hindielle e José Carlos: pódios em Lima
 
Atletas da bocha da Adefu (Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba) brilharam no Parapan de Lima, no Peru, e trouxeram medalhas da competição internacional.
 
José Carlos Chagas, da classe BC1, foi prata no individual e na disputa por equipes BC1/BC2. Ercileide Laurinda também foi prata, nos pares BC4. O REPLAY já havia noticiado as conquistas no Facebook e no Instagram.
 
parapan-bocha-hindielle-josecarlos-prata-02-09-2019
José Carlos observado pela estafe Hindielle e com a prata do individual
 
No individual BC1, após classificar-se em segundo lugar em sua chave na primeira fase, José Carlos passou na semifinal pelo mexicano Eduardo Ventura, ganhando por 6 x 0 do mesmo adversário que tinha vencido o brasileiro por 4 x 1 na etapa de grupos. Na final, no sábado (31), Zeca acabou perdendo de virada para o mexicano Eduardo Sanchez, que fez 4 x 1 e faturou o ouro com cinco vitórias em cinco jogos.
 
Nas equipes BC1/BC2, o atleta de Uberaba sagrou-se vice-campeão na formação com Guilherme Moraes (BC1), Natali de Faria (BC2) e Maciel Santos (BC2). A disputa com Argentina e México, encerrada no domingo (1), foi no sistema de “todos contra todos”, sem finais. A Argentina foi ouro com duas vitórias, e o Brasil, com uma vitória e uma derrota, ficou com a prata.
 
“Fiquei muito feliz por estar mais uma vez no Parapan e ter conseguido medalha para Uberaba. Eu queria levar a de ouro, não deu, mas estou muito feliz. O foco agora é a Copa América”, declarou ao REPLAY o paratleta, que teve em Lima a companhia da estafe Hindielle Andrade, sua treinadora na Adefu.
 
parapan-bocha-josecarlos-equipe-02-09-2019
Zeca comemora no pódio da disputa por equipes
 
Na classe BC4, Ercileide Laurinda chegou às quartas-de-final no individual. Ela avançou em segundo lugar na chave na primeira fase, com duas vitórias e uma derrota, e no mata-mata foi batida pelo canadense Marco Dispaltro – que seria o campeão – em partida equilibrada: 3 x 2.
 
Nos pares, Ercileide competiu com os irmãos Eliseu e Marcelo dos Santos. No grupo único com Colômbia, Canadá e México, sem finais, o Brasil – com Eliseu como titular da dupla e Ercileide e Marcelo se alternando na campanha – ficou com a prata, com duas vitórias e uma derrota. A Colômbia, com três vitórias, foi ouro, e o Canadá pegou o bronze.
 
“Foi muito emocionante representar nosso país no Parapan. A sensação é que o trabalho está só começando. Fiquei nas quartas e sei que posso ir além. É muito gratificante ter o trabalho reconhecido, a sensação é de dever cumprido, mas sabendo que podemos alcançar um degrau a mais, com muito trabalho”, pontuou a paratleta da Adefu ao REPLAY.
 
parapan-bocha-ercileide-prata-02-09-2019
Ercileide em ação em quadra e no pódio: vice-campeã nas duplas
 
O Brasil foi o país com mais medalhas na bocha, com sete no total: três de ouro, três de prata e uma de bronze. No individual, além da prata com José Carlos na classe BC1, foi ouro com Maciel Santos na BC2, e, na BC3, ouro com Evelyn Oliveira e bronze com Mateus Carvalho. Nas disputas coletivas, além da prata nas equipes BC1/BC2 e nos pares BC4, foi ouro nos pares BC3 com Evelyn, Mateus e Antônio Leme. A Colômbia ficou em segundo lugar no geral, com cinco pódios: um ouro, três pratas e um bronze.
 
Atletismo
Na semana passada, Poliana Sousa, da Adefu, havia conquistado o bronze no lançamento de dardo na classe F54, com a marca de 14 metros. Ex-atleta da Adefu, Raissa Rocha Machado foi ouro no dardo F56, com 22,64m, recorde pan-americano.
 
O Brasil terminou em primeiro no geral no atletismo, com 82 pódios, sendo 33 ouros, 26 pratas e 23 bronzes. Os Estados Unidos ficaram em segundo, com 67 medalhas – 26 ouros, 26 pratas e 15 bronzes.
 
Brasil campeão com mais de 308 medalhas
Encerrados os Jogos Parapan-Americanos, o Brasil foi o primeiro colocado com folga no quadro de medalhas, com 308 pódios. Foram 124 ouros, 99 pratas e 85 bronzes. Em segundo lugar, os Estados Unidos somaram 185 medalhas, sendo 58 de ouro, 62 de prata e 65 de bronze. O México foi o terceiro, com 158 no total, sendo 55 ouros, 58 pratas e 65 bronzes.
 
Fotos: acervo pessoal / CPB / Ande

Parceiros 

anuncie boxe

itaipava

unimed-uberaba

tremendao nova

dda

alancarlos

sancelo

river

santaterezinha

fogaodaroca

dr-com

corintiano

Scroll to top