paralimpiada-fim-raissa-zecarlos-06-09-2021
No pódio: Raissa com a prata e Zé com o bronze
 
Os Jogos Paralímpicos de Tóquio foram encerrados neste domingo (5) e já estamos com saudades! Torcemos muito pelos atletas que representaram Uberaba no evento, além dos demais brasileiros, claro. Agora, já estamos na espera por Paris-2024.
 
No Japão, o Brasil teve a sua melhor participação na história das Paralimpíadas.
 
O time verde-amarelo ficou em 7º lugar no quadro de medalhas, mesma posição de Londres-2012. A diferença é que nesta edição o Brasil quebrou o recorde de ouros, com 22, um a mais que na capital inglesa. Em total de pódios, igualou a melhor marca, com 72, mesmo número do Rio-2016, quando, na condição de país-sede, disputou todas as provas.
 
paralimpiada-fim-raissa-06-09-2021
Raissa bateu o recorde das Américas no dardo
 
A delegação teve 259 atletas, incluindo a leva de atletas sem deficiência, como guias, calheiros, goleiros e timoneiro. Entre eles estavam quatro que levavam o nome de nossa Uberaba. José Carlos Chagas e Ercileide Laurinda, ambos da bocha, e Poliana Sousa, do paratletismo, são membros da Adefu (Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba). E Raissa Rocha Machado, do paratletismo, é cria da entidade.
 
Do total de medalhas brasileiras, duas vieram com atletas que representam a cidade. Raissa foi prata no lançamento de dardo classe F56, com quebra do recorde continental (que já era dela). E José Carlos ganhou o bronze na bocha BC1 individual, com cinco vitórias em seis jogos.
 
paralimpiada-fim-zecarlos-06-09-2021
Na bocha, Zé Carlos foi bronze com cinco vitórias em seis partidas
 
Zé ainda competiu no torneio de equipes BC1/BC2, e Ercileide, nos pares BC4, faltando pouco para ambos classificarem-se à segunda fase.
 
E Poliana Sousa, na classe F54, ficou em 7º lugar no arremesso de peso e no lançamento de dardo.
 
paralimpiada-fim-ercileide-poliana-06-09-2021
Ercileide e Poliana também defenderam Uberaba
 
Quadro de medalhas
A China liderou o quadro de medalhas, com 207 pódios, sendo 96 ouros, 60 pratas e 51 bronzes.
 
Em segundo lugar ficou a Grã-Bretanha, com 124 conquistas, sendo 41 ouros, 38 pratas e 45 bronzes.
 
Os Estados Unidos ficaram em terceiro, com 104 medalhas, sendo 37 de ouro, 36 de prata e 31 de bronze. Por um ouro superaram o Comitê Russo, que somou 118 medalhas (36 ouros, 33 pratas e 49 bronzes).
 
O Brasil atingiu a meta de terminar no top-10 do medalheiro. O sétimo lugar veio com 72 pódios. Foram 22 ouros, 20 pratas e 30 bronzes.

Fotos: CPB / Takuma Matsushita / Philip Fong / Fabio Takuma / Paralympics

Parceiros 

anuncie boxe

uniube-ead
 
sancelo
 
dda
 
radio10
 
perfetto

corintiano
Scroll to top